Mar 072010
 

Começou, sexta-feira, no Instituto Moreira Salles, mini-retrospectiva em comemoração aos 84 anos de Andrezj Wajda (comemorados ontem).
A mostra, na verdade, requenta outra, que aconteceu há 10 anos, no Estação Paço – que não existe mais. A anterior foi bem mais completa: passaram Lady Macbeth Siberiana, As 200 Crianças do Dr. Korczak, Danton – O Processo da Revolução.
Katyn, que estreou no Brasil – graças à indicação ao Oscar de filme estrangeiro (que perdeu para The Counterfeiters) – está na programação. Assisti a The Revenge, em que Roman Polanski atua novamente sob a direção de Wajda, meio século após Geração, no Festival do Rio de 2003. Este ano, vi Sweet Rush, filme doloroso sobre a morte, a guerra, o cinema e a passagem à vida adulta: dos melhores trabalhos do diretor, que jamais entrará em cartaz, nem será lançado em DVD. Pena.
Da retrospectiva, destaque absoluto para Homem de Ferro, obra-prima de Wajda e Palma de Ouro em Cannes. Momento em que o cinema e a política se encontram, é o retrato da decadência comunista na Polônia, da ascensão do Solidariedade e de Lech Walesa. Ao contrário de O Maestro e Danton, que lidam com o poder de forma altamente simbólica, Homem de Ferro vai direto ao ponto, com seu estilo documental, que conta a história do jornalista que, a mando do governo, aproxima-se do líder grevista (filho do herói retratado em Homem de Mármore) para lhe sabotar. As dúvidas, no porém, corróem-no.
Cinzas e Diamantes passou ontem, desculpas. Existe em DVD. Dos primeiros filmes que adotam a procissão a fim de representar a decadência de uma classe social (antes de A Doce Vida, por exemplo). Mas Geração e Kanal – melhor parte da trilogia da guerra – ainda reprisam.
Por fim, sobre Terra Prometida: o IMS exibe a versão original, com 180 minutos de duração. Depois, Wajda o reduziu para 138 minutos – corte que o CCBB passou há alguns anos, numa mostra de cinema polonês.
A programação:
Sexta 5/3
14h O Homem de Mármore, de Andrzej Wajda (Czlowiek z Marmuru, Polônia, 1976, 165 min, 35mm, 12 anos).
17h O Homem de Ferro, de Andrzej Wajda (Czlowiek z Zelaza, Polônia, 1981, 153 min, 35mm, 12 anos).
Sessão seguida de debate com o cineasta Cacá Diegues
Sábado 6/3
14h Kanal, de Andrzej Wajda (Kanal, Polônia, 1957, 91 min, digital, 12 anos).
16h Geração, de Andrzej Wajda (Pokolenie, Polônia, 1955, 83 min, digital, 12 anos).
17h30 Sem Anestesia, de Andrzej Wajda (Bez Znieczulenia, Polônia, 1978, 131 min, 35mm, 14 anos).
20h Cinzas e Diamantes, de Andrzej Wajda (Popiol i Diament, Polônia, 1958, 104 min, digital, 12 anos).
Domingo 7/3
14h O Homem de Mármore, de Andrzej Wajda (Czlowiek z Marmuru, Polônia, 1976, 165 min, 35mm, 12 anos).
17h O Homem de Ferro, de Andrzej Wajda (Czlowiek z Zelaza, Polônia, 1981, 153 min, 35mm, 12 anos).
20h Kanal, de Andrzej Wajda (Kanal, Polônia, 1957, 91 min, digital, 12 anos).
Terça 9/3
14h Geração, de Andrzej Wajda (Pokolenie, Polônia, 1955, 83 min, digital, 12 anos).
16h A Terra Prometida, de Andrzej Wajda (Ziemia Obiecana, Polônia, 1975, 180 min, 35mm, 16 anos).
20h Katyn, de Andrzej Wajda (Katyn, Polônia, 2007, 118 min, digital, 14 anos).
Quarta 10/3
14h O Maestro, de Andrzej Wajda (Dyrygent, Polônia, 1980, 101 min, 35mm, 14 anos).
16h O Homem de Ferro, de Andrzej Wajda (Czlowiek z Zelaza, Polônia, 1981, 153 min, 35mm, 12 anos).
20h O Anel da Águia Coroada, de Andrzej Wajda (Pierscionek z Orlem w Koronie, Polônia, 1992, 104 min, 35mm, 14 anos).
Quinta 11/3
14h O Homem de Mármore, de Andrzej Wajda (Czlowiek z Marmuru, Polônia, 1976, 165 min, 35mm, 12 anos).

Related Posts with Thumbnails

Related Images:

 Leave a Reply

(required)

(required)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>