Nov 122010
 

Guerras de Kandagawa
Kandagawa Wars | Kanda-gawa inran senso
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 1983 | 35 mm, 61 min.

Um dia, duas garotas muito ligadas em sexo que vivem em um alto edifício veem da sua janela uma mãe e seu filho transando no apartamento em frente. Elas decidem então bolar uma tentativa de resgate para libertar o rapaz; no decorrer do plano, uma das garotas acaba se apaixonando por ele, apesar de já ter um namorado e de se relacionar sexualmente com a companheira. Evidentemente, a mãe tem seus próprios planos ao ter sua privacidade invadida. Este é o primeiro filme comercialmente distribuído de Kiyoshi Kurosawa, que, como muitos outros diretores, começou fazendo “pinku eigas”, filmes eróticos japoneses sem pornografia explícita.

Roteiro: Kiyoshi Kurosawa, Kunitoshi Manda
Fotografia: Toshihiko Uriu
Som: Ginza
Edição: Jun’ichi Kikuchi
Música: N/D
Elenco: Usagi Aso, Makoto Yoshino, Miiko Sawaki, Hoen Kishino, Tatsuya Mori, Masayuki Suo

O Vigia do Subsolo
The Guard from Underground | Jigoku no keibîn
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 1992 | 35 mm, 96 min.

Este é o primeiro dia de trabalho de Akiko Narushima como consultora de arte na Companhia Akebono. Seu escritório reúne uma matriz variada de personalidades, como chefes lascivos e colegas de trabalho pouco dispostos a ajudar, além do café horroroso. Para piorar, desde que o gigante Fujimaru assumiu o posto de segurança da firma, alguns funcionários começaram a desaparecer. Mera coincidência? Este filme foi dirigido por Kurosawa como uma homenagem aos “slashers”, filmes de terror envolvendo psicopatas e carnificinas muito em voga nos anos 1980.

Roteiro: Kiyoshi Kurosawa, Kunihiko Tomioka
Fotografia: Ken’ichi Negishi
Som: Akihiko Suzuki
Edição: Shinbo Kamiya
Música: Midori Funakoshi
Elenco: Hatsunori Hasegawa, Makiko Kuno, Ren Osugi, Taro Suwa

A Vingança: Uma Visita do Destino
The Revenge : A Visit From Fate | Fukushû: Unmei No Hômonsha
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 1997 | 35 mm, 83 min.

Goro Anjo é um policial que se recusa a andar armado, por conta do trauma de ter presenciado a execução de toda a sua família quando ainda menino. Depois que sua esposa é raptada e morta pelos suspeitos de um assassinato, ele muda de postura e pede demissão da polícia, levando apenas sua arma numa jornada em busca de vingança. Este é o primeiro dos dois filmes estrelados por Sho Aikawa no papel do policial rebelde Anjo, numa homenagem de Kurosawa a Dirty Harry e outros policiais durões do cinema norte-americano dos anos 70.

Roteiro: Takahashi Hiroshi
Fotografia: Takahide Shibata
Som: Hiromichi Koori
Edição: Kan Suzuki
Música: Hikaru Yoshida
Elenco: Sho Aikawa, Daikei Shimizu, Yoshiko Yara, Naomasa Musaka, Ren Osug

A Vingança: A Cicatriz que Nunca Se Apaga
The Revenge: The Scar That Never Fades | Fukushu: Kienai Kizu Ato
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 1997 | 35 mm, 80 min.

Sho Aikawa volta como o ex-policial Goro Anjo nesta sequência que representa uma continuação imediata do filme anterior. Anjo agora já deixou sua vida pregressa toda para trás, e vive sob outro nome, trabalhando como matador de aluguel para uma facção minoritária da Yakuza (composta por apenas cinco homens!). Porém, quando um jovem e ambicioso detetive começa a desvendar sua verdadeira identidade, Anjo não pode mais negar seu passado. Os dois filmes da série “A Vingança” podem ser vistos de modo independente, mas assistir a ambos enriquece a experiência cinematográfica. Este segundo filme constitui, portanto, não uma mera sequência, porém uma continuação do primeiro episódio.

Roteiro: Kiyoshi Kurosawa
Fotografia: Takahide Shibata
Som: Hiromichi Koori
Edição: Kan Suzuki
Música: Hikaru Yoshida
Elenco: Sho Aikawa, Shun Sugata, Ren Osugi, Chikako Kobayashi, Kunihiko Ida

Cure
Cure | Kyua
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 1997 | 35 mm, 111 min.

Um detetive policial com problemas familiares assume a investigação de uma série de assassinatos brutais. Depois que os crimes são cometidos, os assassinos – cidadãos exemplares, acima de qualquer suspeita – não conseguem se recordar de nada sobre eles. Um rapaz que sofre de amnésia e que se encontrou com todos os assassinos se mostrará essencial para o desvendamento do caso. Nesta obscura trama de detetive, Kiyoshi Kurosawa reveste o ato de matar com uma dimensão existencial profunda. Cada assassinato é um ato de libertação, um passo no sentido da quebra dos grilhões sociais. Provocando simultaneamente repulsa e fascínio, o assassinato lança um olhar para o universo obscuro dos instintos humanos e dos desejos reprimidos.

Roteiro: Kiyoshi Kurosawa
Fotografia: Tokusho Kikumura
Som: Hiromichi Kori
Edição: Kan Suzuki
Música: Gary Ashiya
Elenco: Koji Yakusho, Tsuyoshi Ujiki, Anna Nakagawa, Masato Hagiwara

O Caminho da Serpente
Serpent’s Path | Hebi no michi
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 1998 | 35 mm, 85 min.

Tanto O Caminho Da Serpente quanto seu homólogo Os Olhos Da Aranha partem da mesma premissa: um homem buscando vingar o assassinato de uma criança. Nijima ajuda seu amigo Miyashita, também ele um membro da Yakuza, a vingar o estupro e o assassinato de sua filha, vítima de um “snuff movie”, filme que acompanha o assassinato real de uma pessoa diante das câmeras. Juntos, eles capturam mafiosos do baixo escalão da Yakuza, os prendem em uma fábrica abandonada e os torturam, na tentativa de conseguir pistas sobre o paradeiro dos assassinos da garota. Marcado por cenas de violência abundante e explícita, é sem dúvida a integrante mais clássica e sombria desta dupla enigmática de filmes, oferecendo uma visão profundamente pessimista do gênero humano.

Roteiro: Yoichi Nishiyama, Kiyoshi Kurosawa
Fotografia: Masaki Tamura
Som: Makio Ika
Edição: Kan Suzuki
Música: Hikaru Yoshida
Elenco: Sho Aikawa, Dankan, Ren Osugi, Shun Sugata, Susumu Terajima

Os Olhos da Aranha
Eyes of Spider | Kumo no hitomi
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 1998 | 35 mm, 83 min.

Os Olhos da Aranha e O Caminho da Serpente possuem um substrato comum: a premissa de ambos é a mesma, os enredos são bastante semelhantes e a maioria do elenco aparece nos dois filmes. Entretanto, eles são completamente distintos do ponto de vista estilístico. Os Olhos Da Aranha, com seu inacreditável número de mortos, tem mais humor e apresenta personagens conflituosos, com um lado meio tolo – como um chefe de gangue que coleciona fósseis – , que de algum modo conservam sua humanidade em meio à loucura que os cerca.

Roteiro: Yoichi Nishiyama, Kiyoshi Kurosawa
Fotografia: Masaki Tamura
Som: Makio Ika
Edição: Kan Suzuki
Música: Hikaru Yoshida
Elenco: Sho Aikawa, Dankan, Ren Osugi, Sadao Abe

Permissão para Viver
License To Live | Ningen gokaku
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 1998 | 35 mm, 109 min.

Um rapaz desperta após dez anos em coma. Ele tenta recomeçar sua vida de onde parou, porém descobre que sua família se dispersou pelo mundo. Só um velho amigo de seu pai continua lá para acolhê-lo. Como uma reação a todos os acontecimentos, o rapaz tentará construir o rancho com que sonhava na infância. Ao focar em seu jovem herói, Kurosawa explora as questões de até que ponto uma pessoa é capaz de determinar sua própria personalidade e seu desenvolvimento; de como os laços familiares moldam a identidade de alguém; e de como a instituição da família no Japão da atualidade tem se degradado, beirando o caos.

Roteiro: Kiyoshi Kurosawa
Fotografia: Jun’ichirô Hayashi
Som: Makio Ika
Edição: Masahiro Ohnaga
Música: Gary Ashiya
Elenco: Hidetoshi Nishijima, Koji Yakusho, Shun Sugata, Lily, Kumiko Asou

Carisma
Charisma | Karisuma
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 1999 | 35 mm, 103 min.

Uma história sobre uma árvore chamada Carisma. Após uma tentativa frustrada de resolver um caso de sequestro, o negociador Goro Yabuike sai para passear em uma floresta. Ali, em uma clareira, ele encontra uma estranha árvore que vem sendo atacada pelos moradores da região. Um ativista ambiental está lutando para salvá-la; um grupo de plantadores quer arrancá-la com as raízes para vendê-la; e um botânico sustenta que a árvore estaria causando a destruição da floresta. Refletindo preocupações ecológicas quanto à destruição do meio ambiente, o filme segue retratando uma disputa impiedosa para controlar a natureza (e como ela reage de volta). De caráter essencialmente alegórico, o filme se transforma num reflexo de uma paisagem social violenta e cheia de conflitos.

Roteiro: Kiyoshi Kurosawa
Fotografia: Jun’ichirô Hayashi
Som: Makio Ika
Edição: Junichi Kikuchi
Música: Gary Ashiya
Elenco: Koji Yakusho, Ikeuchi Hiroyuki, Jun Fubuki

Ilusões Inúteis
Barren Illusions | Ôinaru gen’ei
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 1999 | 35 mm, 95 min.

Michi trabalha como funcionária de uma transportadora internacional, gosta de decorar seu apartamento com objetos roubados e sonha em viajar para outros países. Seu namorado Haru trabalha com música, porém sem grande entusiasmo. Todos os desejos do rapaz são limitados, assim como seu apetite sexual. Em meio a esse mundo vago e inseguro, os dois tentam preservar seu amor, mas acabam se afastando. Cada pequena tentativa de salvar o relacionamento deles só resulta em mais distanciamento. Exibindo eventos, informações e até experiências físicas que carecem de qualquer senso de realidade, Kurosawa delineia um quadro que se parece bastante com o mundo atual e confirma o caráter único desta vida. O filme acaba por questionar também a viabilidade do amor.

Roteiro: Kiyoshi Kurosawa
Fotografia: Takahide Shibanushi
Som: Nobuyuki Kikuchi
Edição: Onaga Masahiro
Música: Dai Soma
Elenco: Shinji Aoyama, Yôko Oguchi, Miako Tadano, Shinji Takeda, Takashi Urai

Sessão Espírita
Séance | Kôrei
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 2000 | 35 mm, 97 min.

Um casal parece viver mergulhado em tédio conjugal. O marido é um produtor musical que vive ocupado com seu trabalho, enquanto a mulher é uma conselheira espiritual, que não tem, portanto, um emprego regular. Quando, após uma série de coincidências, o casal descobre uma garota – vítima de um sequestro – escondida em sua garagem, suas vidas passam por mudanças drásticas. O casal decide tirar vantagem da presença da garota de todos os modos possíveis. Nesta história de fantasma, a grande ênfase não está no terror, mas nas tensões psicológicas experimentadas pelo casal, que gradualmente começa a deslizar para uma amoralidade e um cinismo explícitos, e é esse movimento que acaba se mostrando o mais aterrorizante de tudo.

Roteiro: Tetsuya Onishi, Kiyoshi Kurosawa
Fotografia: Takahide Shibanushi
Som: Yukio Hokari
Edição: Jun’ichi Kikuchi
Música: Gary Ashiya
Elenco: Koji Yakusho, Jun Fubuki, Tsuyoshi Kusanagi Ittoku, Kishibe, Hikari Ishida

Pulse
Pulse | Kairo
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 2001 | 35 mm, 118 min.

“Você gostaria de conhecer um fantasma?” Taguchi, um jovem analista de sistemas, é encontrado enforcado em seu apartamento. Completamente chocados, seus colegas tentam descobrir o motivo para seu inexplicável suicídio. Uma pista indica o início do enigma: uma misteriosa evidência deixada pela vítima, contida num simples disquete de computador. Aparentemente, o disquete contém um vírus que contamina seus usuários, transformando radicalmente o comportamento deles. Em Tóquio, o medo se espalha à medida que o vírus viaja através das redes de computadores. Pequenos grupos de jovens se unem numa tentativa de resistência, enquanto os desaparecimentos se multiplicam.

Roteiro: Kiyoshi Kurosawa
Fotografia: Jun’ichirô Hayashi
Som: Makio Ika
Edição: Junichi Kikuchi
Música: Cocco
Elenco: Haruhiko Katô, Kumiko Asô, Koyuki, Kurume Arisaka, Masatoshi Matsuo, Shinji Takeda

Futuro Brilhante
Bright Future | Akarui Mirai
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 2003 | 35 mm, 93 min.

Os amigos Mamoru e Yuji são jovens sem objetivos presos a empregos monótonos e sem perspectivas em uma fábrica sombria de Tóquio. Mamoru, o mais anti-social dos dois, é obcecado por seu projeto pessoal de fazer com que uma medusa venenosa se acostume com água doce por meio da substituição gradual da água em seu tanque. Uma noite, ele inexplicavelmente mata a família de seu chefe e acaba sendo condenado à morte. Yuji decide levar adiante o experimento com a medusa, torna-se amigo do pai meio ausente de Mamoru e cria um vínculo com ele. Mas o apego de Yuji à medusa se torna ainda mais forte, e os problemas começam quando ele acidentalmente solta a criatura venenosa nos canais de Tóquio.

Roteiro: Kiyoshi Kurosawa
Fotografia: Takahide Shibanushi
Som: Hiromichi Kori
Edição: Kiyoshi Kurosawa
Música: Shigeomi Hasumi (Pacific 231)
Elenco: Jô Odagiri, Tadanobu Asano, Tatsuya Fuji, Takashi Sasano, Marumi Shirais

Doppelgänger
Dopperugengâ
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 2003 | 35 mm, 107 min.

Michio Hayasaki, um brilhante projetista de equipamentos médicos, está trabalhando em uma cadeira mecânica, equipada com membros artificiais para pessoas tetraplégicas. Ele se sente pressionado pela empresa em que trabalha, a Medical Cytech, para apresentar o mais rapidamente possível um projeto que funcione, e está à beira da exaustão. Uma noite, ele julga ter visto seu duplo. Hayasaki tem então o grande choque de sua vida: segundo uma superstição, ver seu duplo significa morte iminente. Porém, após um confronto com seu doppelgänger desajustado, Hayasaki percebe que pode tirar vantagem de seus truques violentos. O duplo destrói o laboratório de Hayasaki, tira outro duplo do caminho, contrata um assistente para Hayasaki e aparece com um novo laboratório. Porém, no fim, um dos dois terá que morrer…

Roteiro: Ken Furusawa, Kiyoshi Kurosawa
Fotografia: Noriyuki Mizuguchi
Som: Hiromichi Koori
Edição: Kiyoshi Kurosawa, Masahiro Onaga
Música: Yusuke Mori
Elenco: Yakusho Koji, Nagasaku Hiromi, Yusuke Santa-Maria, Dankan, Masahiro Toda

Loft
Shi no otome
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 2005 | 35 mm, 115 min

Reiko, uma premiada escritora, se muda para uma casa tranquila nos arredores da cidade para concluir seu novo livro com a ajuda de seu editor. Certa noite, ao dormir, ela vê um homem em um depósito carregando um objeto enrolado em um tecido. Logo ela descobre que se trata de um arqueólogo de renome, o Professor Yoshioka, que pesquisa múmias antigas; o objeto que ela vira era uma múmia recém-descoberta. Mais tarde, trabalhando em seu livro, Reiko presencia a aparição de um fantasma e fica sabendo que seu quarto já pertenceu a uma mulher desaparecida. Reiko vai se enchendo de um medo inexplicável, enquanto começa a desvendar mais histórias do passado.

Roteiro: Kiyoshi Kurosawa
Fotografia: Akiko Ashizawa
Som: Akira Fukada
Edição: Masahiro Onaga
Música: Gary Ashiya
Elenco: Miki Nakatani, Etsushi Toyokawa, Hidetoshi Nishijima

Sonata de Tóquio
Tokyo Sonata | Tôkyô sonata
Kiyoshi Kurosawa | Japão | 2008 | 35 mm, 119 min.

Um retrato de uma família japonesa aparentemente comum. O pai que perde seu emprego de uma hora para outra esconde o fato de sua família; o filho mais velho, que faz faculdade, mal volta para casa; o mais novo assiste a aulas de piano sem que seus pais saibam; e a mãe, que no fundo percebe que seu papel é manter a família unida, não consegue encontrar a vontade necessária para fazê-lo. Visto de fora, tudo é normal e imutável. Entretanto, de algum modo, uma rachadura simples e imprevisível já se abriu no seio da família, e começa a se expandir silenciosa e rapidamente rumo à desintegração do lar.

Roteiro: Kiyoshi Kurosawa, Sachiko Tanaka
Fotografia: Akiko Ashizawa
Som: Masayuki Iwakura
Edição: Koichi Takahashi
Música: Kazumasa Hashimoto
Elenco: Teruyuki Kagawa, Kyôko Koizumi, Yû Koyanagi, Inowaki Kai

Related Posts with Thumbnails

Related Images:

 Leave a Reply

(required)

(required)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>