May 272008
 

O júri, presidido por Sean Penn, anunciou ontem os vencedores da 61a. edição do Festival de Cannes. Deu a lógica: Palma de Ouro para Entre les Murs, de Laurent Cantet. Sandra Corveloni recebeu o prêmio de melhor atriz por Linha de Passe, de Walter Salles e Daniela Thomas. Parabéns! Apenas o quinto brasileiro a triunfar na competição oficial de Cannes – ela se une a Lima Barreto (melhor filme de aventuras por O Cangaceiro), Anselmo [...Continua...]

Jun 172007
 
A Colecionadora

Ela passa Catando os corações um a um Dêem os corações Todos os bons corações Os maus corações Os pobres corações Vocês não chegarão nunca Até os seus lábios Oh os corações Os pobres corações Ela se aborrece E põe os corações no seu cesto Infelizmente Os corações lá não ficam Não ficam muito tempo Não ficam o suficiente Nem mesmo uma primaverazinha Texto: Cidade de Carcassome, de Guillaume Apollinaire. Imagem: A Bela da Tarde, [...Continua...]

Jun 122006
 
Foto da Semana - Os Guarda-Chuvas do Amor, de Jacques Demy

Qualquer filme romântico que se preza necessita de despedida em estação de trem. Carta de Uma Desconhecida, de Max Ophüls. Summertime, de David Lean. Os Guarda-Chuvas do Amor, de Jacques Demy. Não sei se seria possível algo semelhante no Brasil. Amantes dizendo adeus na Central do Brasil? Coração na mão, tristeza e romantismo rasgado em trens sujos, lotados, quebrados? Pensando bem, acredito até que fique melhor. A pobreza acentua o melodrama. É fácil amar quando [...Continua...]

Jun 082006
 
A Mais Bela Canção de Amor

A única pessoa deste mundo que ama mais Jacques Demy do que eu é Agnès Varda. Vejam só: Eduardo Valente vai me trazer, da França, por 10 euros cada, DVDs duplos de Les Parapluies de Cherbourg e de Les Demoiselles de Rochefort. Minha Copa do Mundo está seriamente ameaçada. A tendência é que eu veja e reveja os filmes incessantemente. Qualquer outro DVD estará proibido aqui em casa nas próximas semanas, por respeito a Demy. [...Continua...]

Apr 142006
 

Ok, Pele de Asno relaçado, cópias novas… Mas, versões legendadas e… dubladas???? Eles acham que Jacques Demy equivale a O Galinho Chicken Little ou algo assim? Pior é que pais retardados, imbecis e sem consciência vão levar os filmes para ver este crime, este atentado contra o cinema. O filme não existe sem a narração de Jean Servais, sem a prosódia de Delphine Seyrig, sem a voz de Jean Marais… Inferno é pouco! Related Images:

Apr 092006
 

Amanhã, segunda-feira, sessão dupla de Jacques Demy (junto com Max Ophüls, meu diretor favorito – exceção feita a John Ford, que não conta) no Cinemaison: Às 20h, passa O Universo de Jacques Demy, de Agnès Varda. Logo em seguida, pré-estréia do extraordinário e magnífico Pele de Asno, em cópia tinindo de nova. Quem tem carteira do cinemaison, volte a usá-la. Quem não tem, peça uma. Quem não for, dê um tiro na cabeça, porque merece. [...Continua...]

Mar 282006
 

Íris abre para plano geral da cidade litorânea. De um lado, a praia; de outro, a estrada, com as casas e os prédios margeando. Janela 2.35:1, filme preto e branco. Grua. A câmera (de Raoul Coutard) desce, acompahando o carro conversível que chega pela estrada, até ele ocupar lateralmente toda a extensão do quadro. O carro, conversível, é claro. O homem que o dirige também se veste com roupas claras, combinando com a areia da [...Continua...]

Mar 192006
 

O Cinemaison andava bastante picareta, mais eis que amanhã temos um belíssimo filme programado: Marie-Jo e Seus Amores, de Robert Guédiguien, às 19h30. Na espera pela chegada de O Último Mitterand nas telas cariocas, sempre bom ver (ou rever) aquele que, para mim, continua sua melhor obra – e assisti a todas. Depois, duas semanas em que nada de útil acontece para que, finalmente, em 10 de abril, todos os pecados cometidos pelo cineclube da [...Continua...]