Sep 242007
 

O Festival começou péssimo neste domingo, já que resolvi ver Elvis Pelvis. Deveria respeitar mais minha política de não assistir a filmes com títulos ruins, já que se não acertaram em apenas uma frase, imaginem em 96 minutos… Mas eis que houve a redenção. Dupla: Síndromes e Um Século e A Moça Dividida em Dois. Como as obras anteriores do Apichatpong Weerasethakul, não entendi boa parte de Síndromes e Um Século. Mas que diabos, precisa? [...Continua...]

Aug 012007
 

Na Maison de France, 6 de agosto (segunda-feira), homenagem a Michel Serrault: 18h – Cidadão Sob Custódia (Garde à Vue), 1981, de Claude Miller. 20h – Negócios à Parte (Rien Ne Va Plus), 1997, de Claude Chabrol. A Cinemateca do MAM poderia exibir Bergman e Antonioni também, para aproveitar. Só peço que variem o repertório, pois não agüento mais: a) Profissão Repórter, As Amigas e A Noite (Antonioni); b) Morangos Silvestres, O Sétimo Selo, Prisão [...Continua...]

Jul 272007
 

Competição: Atonement, de Joe Wright (filme de abertura) The Darjeeling Limited, de Wes Anderson Sleuth, de Kenneth Branagh Heya Fawda / Le Chaos, de Youssef Chahine Redacted, de Brian De Palma The Assassination of Jesse James by the Coward Robert Ford, de Andrew Dominik Nessuna Qualità agli Eroi, de Paolo Franchi Michael Clayton, de Tony Gilroy Nightwatching, de Peter Greenaway En la Ciudad de Sylvia, de José Luis Guerin In the Valley of Elah, de [...Continua...]

Jun 112007
 
Jean-Claude Brialy (1933 - 2007)

Jean-Claude Brialy faleceu aos 74 anos, de câncer, mês passado. Homenageando o ator, a Maison de France exibe hoje A Noiva Estava de Preto, de François Truffaut, às 18h; e O Joelho de Claire, de Eric Rohmer, às 20h. Pensei em colocar uma foto de Brialy neste post. Talvez de Os Primos, de Claude Chabrol: afetado, tentador, lascivo, decadente, demoníaco. Mefistófeles burguês que irrita seus próprios convidados, na festa, com música clássica. No entanto, tive [...Continua...]

May 112007
 

Hoje, 18h30, a Cinemateca do MAM apresenta Os Sete Pecados Capitais, de Jean-Luc Godard, Jacques DEmy, Claude Chabrol, Philippe de Broca, Edouard Molinaro, Roger Vadim e Sylvain Dhome. Irei sobretudo pelo Demy e seu episódio “Luxúria”, mas Godard, Chabrol e Broca também valem e muito. Vadim e Molinaro dependem do gosto (não fazem parte do meu). Dhome, nunca vi. Amanhã, 16h, Made in USA. Não está entre os melhores do Godard, é figura fácil nos [...Continua...]

Sep 012006
 

Depois de ter ressuscitado a enquete retórica, agora chega a vez dos fillmes do mês! Como podem ver, mergulhei de cabeça no cinema soviético dos anos 20 (e 30 também, mas não da fase do realismo socialista). Ainda faltam alguns, aos quais assisto nos próximos dias – A Mãe, Tempestade sobre a Ásia, Arsenal, Zvenivora, Outubro, A Linha Geral, etc. Vamos a eles: 1. Câmera Olho, 1924, de Dziga Vertov 2. Três Cânticos para Lênin, [...Continua...]

May 222006
 

Louis Malle possui altos e baixos. Entre suas ficções, um dos pontos altos, a meu ver, é Lacombe Lucien (Lacombe Lucien, 1974), a foto da semana. Já no início Malle mostra a que veio, quando Lucien (Pierre Blaise, extraordinário) mata o passarinho que canta na árvore com uma estilingada. O campo, que costuma ser representado no cinema francês como lugar bucólico e quase idílico, em Lacombe Lucien é pura violência: galinhas mortas a pauladas, cadáver [...Continua...]