Apr 262009
 
Luto - Jack Cardiff (1914 - 2009)

O diretor e fotógrafo Jack Cardiff morreu, aos 94 anos, no último dia 22. Mestre do Technicolor, ganhou o Oscar de fotografia em 1947, por Narciso Negro, de Michael Powell e Emeric Pressburger. Também merecem destaque suas colaborações com Alfred Hitchcock (Sob o Signo de Capricórnio), John Huston (Uma Aventura na África), Joseph L. Mankiewicz (A Condessa Descalça), King Vidor (Guerra e Paz) e Richard Fleischer (Os Vikings). Em 1960, concorreu à Palma de Ouro [...Continua...]

Mar 302009
 
Luto - Maurice Jarre (1924 - 2009)

Na madrugada de domingo, o compositor francês Maurice Jarre faleceu, aos 84 anos. Jarre se celebrizou, no cinema, pela parceria com David Lean, que começou em Lawrence da Arábia, prosseguiu em Doutor Jivago e A Filha de Ryan, e terminou com o filme derradeiro de cineasta britânico, Passagem para a Índia. Maurice Jarre ganhou o Oscar por Lawrence da Arábia, Doutor Jivago e Passagem para a Índia – curiosamente, minha trilha predileta do compositor, de [...Continua...]

Aug 062007
 

Estou revendo, ou conferindo pela primeira vez, os filmes de Michael Powell e de Emeric Pressburger. Os créditos impressionam: a nata do cinema britânico trabalhou junta em diversas obras-primas realizadas pela dupla nos anos 40. David Lean, que mais tarde dirigiria Desencanto, Grandes Esperanças, Lawrence da Arábia, Passagem para Índia, montou Paralelo 49 e E Um Avião Não Regressou – e, diz-se, deu a idéia para Coronel Blimp. Freddie Young, que ganhou três Oscar por [...Continua...]

Jun 122006
 
Foto da Semana - Os Guarda-Chuvas do Amor, de Jacques Demy

Qualquer filme romântico que se preza necessita de despedida em estação de trem. Carta de Uma Desconhecida, de Max Ophüls. Summertime, de David Lean. Os Guarda-Chuvas do Amor, de Jacques Demy. Não sei se seria possível algo semelhante no Brasil. Amantes dizendo adeus na Central do Brasil? Coração na mão, tristeza e romantismo rasgado em trens sujos, lotados, quebrados? Pensando bem, acredito até que fique melhor. A pobreza acentua o melodrama. É fácil amar quando [...Continua...]