Oct 172007
 

Poeminha que James Mason (que protagonizou The Reckless Moment e Caught) escreveu sobre Max Ophüls: “A shot that does not call for tracks Is agony for poor old Max, Who, separated from his dolly, Is wrapped in deepest melancholy. Once, when they took away his crane, I thought he’d never smile again.” Assisti a todos os filmes de Ophüls disponíveis – menos La Tendre Ennemie, porque está em francês sem legendas -, e meus favoritos [...Continua...]

Mar 112006
 

Que maravilha De Mayerling a Sarajevo. Falo mais depois, quando estiver com menos sono (culpa dos malditos remédios). Nem eu me lembrava de como o filme era tão sensacional. Quando o vi, ainda em 2002, só tinha assistido a Carta de Uma Desconhecida. Ou seja, foi antes do impacto dos sete Max Ophüls que o Telecine colocou na programação. Seis, na verdade, já que um deles foi justamente Carta de Uma Desconhecida. Os outros foram [...Continua...]

Mar 092006
 

Sexta-feira, 18h30, Cinemateca do MAM. Último filme de Max Ophüls na França (1940), antes de partir para o exílio nos EUA, De Mayerling a Sarajevo não existe em VHS, DVD ou na internet. Pelo que sei, só há esta cópia mesmo. Quem não for, perderá uma obra-prima total e absoluta, que não passa no RJ desde 2002, quando a assisti. Eu sou o principal apóstolo de Ophüls no Brasil. Pelo menos, já me auto-intitulei como [...Continua...]

Mar 052006
 

Ainda não sei quando passa (o MAM é uma caixinha de surpresas), mas assim que souber estarão todos intimados a assistir a De Mayerling a Sarajevo, de Max Ophüls, que está na mostra cinema francês pré-nouvelle vague em cartaz neste mês de março. Amigos, inimigos, conhecidos, desconhecidos, cara que estiver passando na rua, não interessa: carrego todo mundo para a cinemateca, nem que seja na marra. E aplico tratamento laranja mecânica de ver cinema. Related [...Continua...]