May 112010
 
Die Verliebte Firma

Die Verliebte Firma, primeiro longa-metragem de Max Ophüls, já apresenta o mundo do espetáculo como lugar da farsa, da mentira e da ilusão, tal qual Lola Montès e La Signora di Tutti. Ophüls se volta, em Die Verliebte Firma, para o próprio cinema. Durante filmagem na pequena cidade de Wiesendorf, a estrela Peggy se desentende com o protagonista (e marido), abandona a locação e retorna a Berlim. Diretor, assistente, fotógrafo e compositores (trata-se de uma [...Continua...]

Oct 302009
 
Metropolis

Já assisti a três versões de Metropolis. A primeira, com a horrível trilha sonora de Giorgio Moroder. A segunda, mais curta – sem Moroder -, com 80 minutos. Por fim, a cópia “restaurada”, com cerca de duas horas e a música original de Gottfried Huppertz. Mas os dias das versões acabaram. Em 2010, o Festival de Berlim apresentará o corte integral de Metropolis, com todos os 4189 metros que estrearam em 10 de janeiro de [...Continua...]

Aug 312006
 
Luto - Glenn Ford (1916 - 2006)

Glenn Ford, dos últimos gigantes do cinema clássico de Hollywood, faleceu ontem, aos 90 anos. Ele nunca ganhou um Oscar, ou sequer foi indicado. Os mais jovens se lembram de Glenn Ford apenas como o pai terráqueo de Clark Kent em Superman, de Richard Donner. Mais grave, porém, é diminuí-lo por ter encarnado papéis de galã durão e melancólico ao longo de sua carreira. Foi-se o tempo em que as interpretações se baseavam em tipos, [...Continua...]

Apr 222006
 

Domingo, programa duplo: 1. A Estrada, de Federico Fellini (18h20) 2. Desejo Humano, de Fritz Lang (20h30) Ainda não vi Desejo Humano, mas acredito que seja obra-prima ou quase (é Lang, ele só faz filmes deste nível). La Strada… acho maravilhoso, embora de uns tempos para cá detratores de Fellini tenham aparecido em profusão. Related Images:

Apr 192006
 

Quinta-Feira, 18h20, O Desprezo passa pela última vez no Odeon. É para assistir, obrigatoriamente, porque simplesmente é impossível vê-lo em outro lugar que não seja a tela grande. Desde que O Desprezo reestreou nesta cópia, na Retrospectiva Jean-Luc Godard no Estação Botafogo 1 em 2002, já o assisti pelo menos 7 vezes. Quinta será a oitava. Por que? Porque sempre que há o primeiro plano geral do mar com a música de Georges Delerue, eu [...Continua...]