Jul 272007
 

Competição: Atonement, de Joe Wright (filme de abertura) The Darjeeling Limited, de Wes Anderson Sleuth, de Kenneth Branagh Heya Fawda / Le Chaos, de Youssef Chahine Redacted, de Brian De Palma The Assassination of Jesse James by the Coward Robert Ford, de Andrew Dominik Nessuna Qualità agli Eroi, de Paolo Franchi Michael Clayton, de Tony Gilroy Nightwatching, de Peter Greenaway En la Ciudad de Sylvia, de José Luis Guerin In the Valley of Elah, de [...Continua...]

Apr 072006
 
Chunhyang, Amor Proibido

Chunhyang, Amor Proibido, 2000, de Im Kwon-Taek Folheto da última Sessão Cineclube. Pena de quem não viu no cinema, já no DVD o filme está na janela e com as cores erradas. A letra ying significa mulher, terra. A letra yang, marido, sol. Juntas, ying e yang ganham novo sentido: felicidade. Entrelaçando pansori e cinema, Im Kwon-Taek – mais importante diretor coreano que, infelizmente, permanece desconhecido no Brasil -, em Chunhyang, Amor Proibido, conjuga romance, [...Continua...]

Apr 032006
 

Estava terminando meu texto para Chunhyang, Amor Proibido, que passa quarta-feira, 20h30, no Odeon, dentro da Sessão Cineclube. Imperdível, hein. No último parágrafo, eu basicamente comparo a disponibilidade de Im Kwon-Taek no Brasil com a de outro cineasta coreano, Kim Ki-Duk. Para reforçar meus argumentos, resolvi citar também Hong Sang-Soo, que permanece inédito no Brasil (Kwon-Taek só teve Chunhyang exibido comercialmente, e o cara fez 99 filmes!). E, vejam só, descubro que Hong Sang-Soo nasceu [...Continua...]