May 212008
 
Palma de Ouro

Manoel de Oliveira ganhou, anteontem, a Palma de Ouro em Cannes pelo conjunto da obra. Justa homenagem ao cineasta que, dia 11 de dezembro, completa 100 anos de idade – incríveis 77 deles atrás das câmeras, uma vez que estreou em 1931 com Douro, Faina Fluvial -, e permanece na ativa: está prestes a lançar Singularidades de Uma Rapariga Loira, baseado na obra de Eça de Queirós, além do curta-metragem Do Visível ao Invisível, que [...Continua...]

Sep 182007
 

Por que sempre vou às cabines do Festival, mesmo em obras desconhecidas? Por que sempre fico até o fim, mesmo quando o que vejo é horrível? Porque é o meu trabalho. Eu escolhi. Não sou médico, advogado, dentista, contador. Vivo de cinema, e o amo. Para mim, os piores filmes ainda são infinitamente melhores que ficar trancado em algum escritório. Sem contar os momentos extraordinários que ocorrem, de quando em vez. Sempre Bela, por exemplo: [...Continua...]